segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

O que há por dentro



Talvez por gostar de escrever, talvez por algumas vezes ter acreditado sentir exatamente o que o autor queria dizer, sempre discordei parcialmente do ditado “uma imagem vale mais do que mil palavras”.

Entendo que as palavras sejam ferramentas antigas e difíceis de usar. Algumas são muito pesadas, outras são excessivamente delicadas. Porém, quando bem manejadas, elas funcionam como verdadeiros instrumentos de precisão.

Quando aquela pessoa que não faz o seu tipo demonstra interesse em ter algo a mais com você, por exemplo. Você pode fazer mil caras e bocas, pode tentar dezenas de gestos e insinuações: nada será mais eficiente do que um simples “não”.

Ou então quando quiser expressar o seu amor por alguém. Não é preciso comprar o mais caro dos presentes. Não é necessário fazer esquemas mirabolantes, com chuvas de flores e serenatas embaixo da janela. Bastam três palavras. Se forem muito difíceis de dizer, escreva em um cartão.

Acredito tanto nisso, que fiz das palavras o meu hobby e a minha profissão. Nas músicas, gosto mais do que dizem as letras do que das melodias. Nos filmes, prefiro os diálogos inteligentes às cenas de ação. Neste blog, procuro contar fielmente tudo o que sinto e vejo. Tento ultrapassar a superfície da vida com uma criança especial e explorar camadas mais profundas da convivência com meu filho. Porém, infelizmente, quando se trata de sentimentos, tenho comprovado que não existe tarefa mais incompleta do que tentar fazer uma descrição.

Digo isto porque neste final de semana recebemos a visita de um casal muito querido. São amigos próximos, que nos conhecem bem, mas que, por morarem em outra cidade – e terem a vida corrida como todo mundo – acabam nos acompanhando mais por este blog do que por encontros ou ligações.

Ao verem o Antonio, ficaram surpreendidos. Pelo que liam nos meus textos, imaginavam uma coisa; quando vieram à Brasília, encontraram outra. Viram que o Antonio é um danado (como qualquer criança da idade dele), que sabe muito bem o que quer, que sabe fazer manha para chantagear os pais e que tenta superar de todas as formas as próprias limitações. Viram que, muito mais do que um bebê crescendo, há uma personalidade se formando.

Por mais que eu tente escolher as palavras, é este lado dele que às vezes me escapa. O lado engraçado, o lado divertido, o lado que faz a gente parar de ver a deficiência e começar a ver o que há por dentro: uma criança com qualidades, com defeitos e, principalmente, com emoções.

Nas últimas semanas, o Antonio aprendeu a chorar falsamente para expressar o que quer. Quando viu que funcionava, passou a aplicar a fórmula para tudo: sair do berço, reclamar da mamadeira, descer do colo e assim por diante.

Ontem, enquanto brincava com ele, fui chantageado com prantos melodramáticos toda vez que desligava um brinquedo. A atuação valeria um Oscar. E não caberia, nem que eu escrevesse um livro, em nenhuma descrição.



Crédito da foto lá em cima: Rebecca Omena (www.rebeccaomena.com)

48 comentários:

  1. Fábio, já tive a oportunidade de conhecer o profissional, talentoso, de certa forma perfeccionista e de muito bom gosto. Por meio desse blog conheci um história rica de um homem forte, emocional, que vive com intensidade suas frustrações, medos e desejos. Parabéns pela obra prima que você divide com tanta maestria. Feliz é esta família que cresce junto a tantas interperes e muito, mas muito, amor.

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha ver o Antônio respondendo e da sua forma. É isso aí. Estímulo e muito amor costumam dar certo. Beijos em vc, Ana e um mais que especial no Antônio.

    ResponderExcluir
  3. Fabio, é verdade.... Eu me emociono todas as segundas ao ler seus textos e não consigo escrever nada. Faltam palavras pra traduzir alguns sentimentos. Por mais que as palavras apaixonante, emocionante, cativante, instigante e surpreendente apliquem-se perfeitamente ao seu blog, a letra fria é incapaz de traduzir a profundidade do que sentimos. Bjos pra vc, pra Ana e muitos apertos e bjos no fofo do Antonio.

    ResponderExcluir
  4. As vitórias, as histórias, os exemplos de vida e de superação.A vida e suas facetas...
    Um abraço a vocês ...

    ResponderExcluir
  5. Fabio mais uma vez parabéns!! Melhor do que ler o seu ótimo texto foi ver o Antonio chantagea-lo! Adorei o todo aquele teatro melodramático, quando você desliga o brinquedo!! O que o amor não faz hein! Com a dedicação de vocês e de todos que o cercam, este menino lindo, ainda vai nos dar muitas surpresas!!! Se prepare!!! Beijão pra vocês!

    ResponderExcluir
  6. Criança é criança em qualquer parte do mundo e o Antonio aprendeu muito rápido a técnica do choro falso, aquele que não sai uma lágrima, aquele típico "sei que fazendo isso eu vou conseguir". Adorei ver a carinha dele de malandrinho. Ele realmente é uma criança cativante!!! Bjs

    ResponderExcluir
  7. Sem dúvida o Antônio ganhou todos os OSCARS nessa atuação! rs O Oscar da fofura, da inteligência e da manha!! Amei o vídeo, Fábio! Faz um favor, aperta a bochecha dele por mim?

    ResponderExcluir
  8. Fábio, concordo plenamente com o que vc disse sobre palavra e imagem. E mais: ambos os instrumentos podem servir como ferramente terapêutica - que é o que acho que acontece comigo e contigo: ressignificamos e elaboramos uma pá de koisas através da escrita. Acertei?

    AMEI ver o Antonio em ação! Dei ótimas risadas vendo a cena que ele fez, muito sapeca! hahahahaah... Fofo demais!!

    Um beijo.

    koisascomka.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. AHAHAHAHAAH!!!!!!! Antonio atua muito melhor que o Quinzinho!! ( um molequinho chatinho da novela das 8). Fazer drama é uma arte que poucos dominam... <3 AMEI!!!

    ResponderExcluir
  10. Amigo, geralmente choro com seus textos, mas após assistir ao vídeo caí na gargalhada. Muito bom!!!! O Antônio é ótimo, sabe bem o que quer! Super beijo pra vocês!

    ResponderExcluir
  11. Erica, espero que dê certo, porque estamos apostando todas as fichas nisso. bj

    ResponderExcluir
  12. Emmanu, talvez por isso escritores e poetas tenham uma relação aditiva com a escrita: nunca basta, nunca está bom o suficiente, sempre é preciso escrever mais.

    ResponderExcluir
  13. Solange, esse tipo de chantagem sofro com a maior boa vontade. rs. bj

    ResponderExcluir
  14. Verena, bochechas apertadas. E vamos apresentar as crianças sim. Avise quando estiver por aqui. bj

    ResponderExcluir
  15. Ká, às vezes elaboramos até demais. É a eterna tentativa de expressar o máximo... às vezes chegamos perto.

    ResponderExcluir
  16. Manu, o pior é que hoje a atuação foi 4 da manhã. Ossos do ofício de pai...

    ResponderExcluir
  17. Laura, que bom que riu. Chorar de emoção é bom, mas garanto que a convivência com o Tom tem bem mais gargalhadas do que qualquer outra coisa. bj

    ResponderExcluir
  18. E o Oscar vai para....

    Legal ver o Antonio em "ação".
    Quando se lê um texto e "vemos" com os "olhos" da alma o que o autor quiz dizer é muito gratificante, nos agarra, nos prende de tal forma que queremos beber mais daquela fonte. Vc tem esse dom.
    Parabéns e um beijo enorme no Antonio...

    ResponderExcluir
  19. Caparroz, sou só um contador de histórias. É a história - a do Antonio - que é boa. É ela que nos prende. E espero que continue a prender por muito tempo com novas conquistas dele. Abraço

    ResponderExcluir
  20. E o Oscar vai....para Antonio! Enterrando a cabecinha no braço foi demais!

    ResponderExcluir
  21. Só uma coisa a dizer : hahahahaha!!!
    Demais!!!
    Bom carnaval para vocês 3.

    ResponderExcluir
  22. Ivana, um bom carnaval para você também.

    ResponderExcluir
  23. Fábio,

    O vídeo me dá esperanças de que ele poderá aprender muitas coisas. Ele tem a emoção, que é instinto, mas ele poderia não ter isso. Bom sinal, filho.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    E os pezinhos inquietos ali atrás???

    Gente, que COMÉDIA!!!

    E a enfiada de cara nos braços??? Fala sério...

    Antonio, o pilantrinha junior.

    Beijão, Beta.

    ResponderExcluir
  25. nossa! ganhei meu dia que tava tão insosso! não vejo a hora de conhecê-lo. bjocas!

    ResponderExcluir
  26. Beta, ele tá uma piada. Você precisa ver.

    ResponderExcluir
  27. Fê, resolveu se vem ou não? Me avisa. bj

    ResponderExcluir
  28. Fabio, seu blog, sua maneira como escreve, a historia de vcs, tudo isso faz com que eu me sinta intima de vcs! E me emocione SEMPRE!
    Estou adorando acompanhar semanalmente os seus posts!
    Vc nos passa muita boisa boa! Uma energia muito bacana!
    Desejo tudo de bom para vcs!
    Parabens por serem os pais do Antonio!!
    Um beijo enorme
    Julia Burque

    ResponderExcluir
  29. E muito lindo saber fazer isso com uma criança especial! quando você como pai ou mãe tem a grandeza de saberaamar tudo é poosível! O machucado, dolorido do fato de ter um filho especial não pode nos paralisar e deixar de acreditar numa criaturinha que nos escolheu como pais porque precisa de nós!Parbéns ppapai!

    ResponderExcluir
  30. Julia, muito obrigado. A Cândice havia me dito que encontrou uma amiga (você) e que comentaram do blog. Fico muito contente que esteja gostando e acompanhando. Os textos acabam aproximando as pessoas da gente mesmo, "dando intimidade", mas tenha certeza de que isso tem sido muito bom para mim, para a Ana e principalmente para o Antonio. bj

    ResponderExcluir
  31. Anônimo, deixa um nome! rs. Senão pareço um louco falando com desconhecidos. rs De qualquer forma, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  32. Cris, o seu recado apareceu no meu e-mail, mas por alguma razão inexplicável não está visível aqui. Respondo mesmo assim: acompanhar o desenvolvimento de uma criança é sim um presente diário, mas tem gente que tona isso um tormento, fica se cobrando. Quando a vida nos tirou o direito de esperar qualquer coisa do Antonio, todo e qualquer avanço virou lucro. Todo ganho dele tem sido motivo de muita felicidade. Claro que gostaria que o desenvolvimento do Tom fosse igual à maioria das crianças, mas isso não está nas minhas mãos. Então a solução é abrir o meu presente do jeito que ele veio. Volta e meia encontro uma surpresa nova dentro da caixa. Nestes momentos, todo esforço vale a pena. Fico extremamente feliz.

    ResponderExcluir
  33. Que fofo! Como toda criança, já aprendeu o jeitinho de reclamar que derruba qualquer adulto. Quem resiste a um choro ou um sorriso desses espertinhos? Adorei o vídeo. Bjos para vocês. Mônica Leite

    ResponderExcluir
  34. Mônica, ele já sabe nos enrolar direitinho. bj

    ResponderExcluir
  35. Ah, um vídeo do Antônio. Amei!

    ResponderExcluir
  36. Fala, meu amigo! Dei uma sumida dos comentários, mas continuo lendo! Cara, este texto me fez lembrar de um anúncio em que uma criança sem deficiência e outra cadeirante eram expulsas da sala pela professora por estarem colando. Lembrou-me também de 1 cadela dentre 5 cães que existem no sítio da Milu com a qual não tenho empatia (e acho que nem ela comigo...hehehe). Você lembrou bem que não é porque o Antonio é especial que ele não vai fazer as manhas dele, ter os defeitos dele e que vocês como pais terão o desafio de não 'acobertar' os erros, exceto aqueles, logicamente, impostos pelas limitações físicas. Será o maior sinal de respeito e um sinal a ele que ele será como todos nós. Assim como eu acredito que é um baita sinal de respeito você punir um aluno cadeirante que cola ou dizer para um cachorro que você não gosta dele. Abraço! Da Vila

    ResponderExcluir
  37. Da Vila, coitada da cadela. rs. Leva um osso pra ela que vocês ficam amigos. Abraço

    ResponderExcluir
  38. Hahaha...levarei o osso! Mas eu gosto dos outros 4! Só a Hillary que não vai com a minha cara...hehe

    ResponderExcluir
  39. Ê Fabinho, tá lascado com esse ator em casa, que choro mais faaaalso. Dei muita risada com a interpretação do Antonio. Muito bom! Abração! Reinaldo.

    ResponderExcluir
  40. Reinaldo, lascado é pouco. Ele aprendeu a fazer isso para tudo o que quer. Difícil é controlar o riso. rs. Abraço

    ResponderExcluir
  41. Que danadinho! E como a vida é curta e muitas vezes dura, sou totalmente a favor de aceitarmos e nos deliciar com algumas manhas das crianças! Bonitinho demaisssssss ele chorando, quem resiste?? Lourdes Teixeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdes, este aí é um esperto. Porque sabe direitinho conseguir o que quer. Tem a família, os professores, os terapeutas, todos nas mãos. Abraço

      Excluir